terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Michel Teló e a gramática


        Os alunos não acreditam quando começam a prova de Língua Portuguesa. Logo na primeira questão, a professora solicita a análise morfológica das orações:
  • ·            Ai ai, se eu te pego!
  • ·            Nossa! Nossa! Assim você me mata.
  • ·          Chora, me liga, implora meu beijo de novo.
  • ·           Ei, psiu! Beijo, me liga. Eu tô curtindo a noite e te encontro na saída!
  • ·          Fada, fada querida, dona da minha vida.
O teste ainda pede toda a análise sintática do período “Te dei o sol, te dei o mar pra ganhar seu coração. Você é raio de saudade, meteoro da paixão”; a contagem de fonemas da expressão “tchê tcherere tchê tchê, tcherere tchê tchê, tcherere tchê tchê, tchereretchê, tchê, tchê, tchê, Gustavo Lima e você!” e a  elaboração de uma redação de 25 linhas com base no refrão “Sou foda, na cama te esculacho”.
Um dos alunos argumenta:
- Profe Ana!!!
- A interpretação faz parte da prova!
- Mas profe...
-  A in – ter – pre – ta – ção – faaaaaaaz – paaaaar – te - daaaaaaa  - proooooo - va! – repete a professora.
Silêncio. Ninguém mais ri. Clima tenso . A prova, com previsão de dois períodos, termina antes do final do primeiro. Outro estudante questiona:
- Profe, esta prova foi de verdade?
- Sim, foi!
- Com todo respeito, profe, mas as questões.....
- O que havia com as questões?
- “Ai ai, se eu te pego” não existe, né profe!!!!
- Existe!
- Como assim?
- Não só existe, como vocês não param de cantar!
- Não somos só nós, profe. É todo mundo que canta isto! 
- Sim, eu sei! Eu pesquisei muito para fazer esta prova. Achei que vocês gostariam!!!
- Ã?
- Por exemplo! Quantas pessoas no mundo sabem o número de fonemas em “tchê tcherere tchê tchê, tcherere tchê tchê, tcherere tchê tchê, tchereretchê, tchê, tchê, tchê,Gustavo Lima e você!”? Vocês já pararam pra pensar sobre a presença da gramática nestas músicas?
-  Profe! Isto é uma brincadeira, né!?!
- Não! Não é! Gente, a Língua Portuguesa é muito sábia.  E tem explicação para todas as expressões que vocês cantam. Eu acho isto tão mágico...
- Mas profe, a gente canta só pra se divertir.
-Então...agora vocês tem diversão enquanto estudam e estudam enquanto se divertem!
- Mas  prooooofe....
-  Chega! Discussão encerrada.
O sentimento da turma é de revolta. Cada refrão é uma angústia. Cada  composição pode estar na próxima prova. Enquanto isto, a professora Ana comemora. Ela, com seus 25 anos, fã incondicional de Chico Buarque, Mutantes e João Gilberto, autointitula-se a vingadora de seus ídolos na luta perdida contra as interjeições e onomatopeias em melodias de três acordes.
Ela repete o tipo de prova na semana seguinte.
Os estudantes se organizam. Fazem uma dissecação gramatical das músicas do estilo sertanejo universitário. Criam até grupos de estudo por artista. Trocam as informações. A Língua Portuguesa vira febre na escola. A professora vibra constrangida pelo sucesso da ideia e pede desculpas silenciosas a Chico, Mutantes e João Gilberto.
Então acontece o inesperado.   
Quem poderia imaginar que um daqueles alunos da professora Ana seria primo do vizinho de um dos auxiliares de palco do Michel Teló? E assim, percorrendo um destes atalhos mundanos, uma cópia da prova chega ao cantor. Ele fica eufórico com a ideia e grava uma música em homenagem à educadora:

“Profe Ana, profe Ana,
Vem que eu te quero.
Me prova,
Me aprova,
Na minha cama,
Ninguém tem nota zero”

A música estoura nas paradas.  A história da prova  com temática sertaneja  vaza na mídia e a professora Ana torna-se celebridade.  É convidada para programas de rádio e televisão. Estampa capa de jornais e revistas. Excursiona com o Teló e recebe até convites para posar nua. Nega num primeiro momento , pois tornara-se um paradigma no sistema educacional brasileiro. 
Sim, desde aquele dia em que ela declarou que “a educação deve falar a linguagem do educando”, seu nome foi um dos mais citando em modelos de conceitualizações pedagógicas no País. Noutra entrevista, quando questionada sobre a origem da ideia de utilizar os jargões sertanejos  nas provas, não hesitou. Respondeu: ”Eu sempre fui uma grande fã do Michel Teló e de outros artistas do gênero sertanejo. A ênfase do discurso direto e a subtração do pronome pessoal caso reto na forma de sujeito oculto é muito marcante na obra deles. Isto gera, inevitavelmente, uma identificação do ouvinte com a música. Ou seja, quem escuta gostaria de dizer ou ouvir exatamente aquelas palavras . A partir disto, elaborei a ideia de que meus alunos poderiam ser cativados pela gramática através da música sertaneja, já que sempre cantam. Felizmente deu certo”, enquanto pensava, “meu Deus, como eu sou hipócrita. Sei que vou ser castigada por tudo isto que estou fazendo, mas a fama e o dinheiro me dão coisas que Chico Buarque jamais me daria. Será que defender Michel Teló é assassinar Chico Buarque??? Aaahhh, quer saber, foda-se”.
       Num segundo momento aceita os convites para posar nua. Num terceiro momento, aceita novamente. Afinal, as fotos rendem mais que as palestras sobre educação.    
       Meses depois, num aeroporto, enquanto autografava uma foto sua de biquini estampada nas revistas de alguns fãs masculinos, ela percebe que Chico Buarque a observa no saguão. Ele a reconhece e sorri. Cumprimentam-se. Na sala de embarque, conversam sobre a fama, música, revistas e educação.  Chico comenta a entrevista da professora a um jornal de São Paulo abordando a reestruturação da linguagem a partir da cultura popular e também fala de algumas de suas fotos mais ousadas. Ele deixa claro que apreciou tanto o que leu quanto o que viu. Então ela, como toda mulher diante de um elogio de Chico Buarque, suspira...e diz:
- Nossa....nossa!!!
Ele sorri mais uma vez e diz, bem Chico Buarque:
- Assim... você me mata!!!
Os dois gargalham e brindam:
- Delícia! 
- Delícia!  

7 comentários:

  1. idjnxcweifhncweugyfbcuyewgbfxuiwegybdxiuwetxduebdvx!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Grande Bill!!! Fdagundbdfspgabiadndfbdfpbfd!!!!

    ResponderExcluir
  3. Só vc mesmo! arrancou gargalhadas "do lado de cá"... ;)

    ResponderExcluir
  4. HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

    ResponderExcluir