quarta-feira, 7 de março de 2012

A mulher do manual


Aquele beijo no final da festa foi tão incandescente que ela teve que ceder. Disse número do telefone. Só que gostou tanto do beijo que fez questão de sussurrar lentamente no ouvido dele cada um dos oito dígitos. E foi sádica. Quando sentiu o braço dele arrepiando na palma da mão, repetiu só por diversão.

Óbvio que ele ligou no dia seguinte. Ela gostou da atitude, mas por fidelidade aos seus métodos, atendeu apenas na terceira vez. Queria testar o grau de envolvimento do rapaz. Foi aprovado. Marcaram um chopp no meio da semana.  

-      Oi!
-      Oi!
-      Tudo bem?
-      Ã rã! E contigo?
-      Também!
-      Tenho que confessar…
-      O que?
-      Teu número de telefone sussurrado foi pra nunca mais esquecer na vida!
-      Gostou, é?
-      Ã rã! Memorizei na hora.
-      É? E memoriza tudo tão fácil assim?
-      Não! Só o que é especial!
-      Tá bom! Vou fingir que acredito!
-      Sério! Isto não acontece toda hora, né!
-      O que? Eu sussurrar meu telefone?
-      Isto eu não sei...mas de eu escutar...não acontece...
-      É, pode ser…vou fazer de conta de novo de que acredito…
-      Huuuummm....jogo duro, hein! Qual tua profissão? Delegada....hahahaah?
-      Não achei graça. Mas tudo bem. Sou analista de sistemas, com ênfase em 
gerenciamento de processos em tecnologia da informação…
-      Huuuuummmm.....ah…tá!!!
-      Chato, né!
-      Não…não...não é chato...mas é diferente, né!
-      Como assim?
-      É que teu jeito não é de quem é da área da informática!
-      Como assim?
-      Sei lá, toda style, gata, barbiezinha…no melhor dos sentidos!!!
-      Como assim?
-      Ah, tá sabendo….devem te falar isto toda hora. Tem jeito de arquiteta, comunicadora, 
profissional liberal...ou que trabalha com  marketing.
-      É! Isto sim…falam toda hora! Acham que porque eu sou bonita, não posso gostar de 
raciocínio lógico...mas eu penso, viu? Penso muito!
-      Hummmm…isto é legal!
-      Fica intimidado diante de uma mulher que pensa?
-      Não…não! Tudo que um homem quer é uma mulher que pensa. E ainda mais quando é linda assim…
-      Olha só, vou ser direta.
-      Claro! É um favor que faz pra nós.  
-      Eu tô bem cansada deste negócio de ficar se conhecendo aos poucos, rolo pra cá, rolo pra lá. Não tenho mais paciência pra isto. Eu sou prática.
-      Oooooppppaaaaa….tô gostando do assunto….hahahaha!!!
-      É?
-      Siiiim…imagina, uma mulher linda, que pensa e ainda é prática! Deus me ama!
-      Sim, sou muito prática. Bem mais que a média.
-      Como assim?
-      Sou tão prática que resolvi fazer um manual de mim!
-      Ã?
-      É…um manual!
-      Como assim?

Ela tira da bolsa um livreto semelhante a um manual de instruções de eletrodomésticos 
com uma foto dela na capa. Entrega nas mãos dele.

-       Esta aí sou eu. Nestas 64 páginas está tudo o que você precisa saber sobre mim.
-      Como assim? 
-      Eu dividi em capítulos para facilitar: especificações, modo de uso, profissão, personalidade, atividades de interesse, sexo e projeção de futuro.
-      Desculpe…masss…
-      Masssssssss.....nunca viu nada assim antes?
-      É…é que…
-      É que é o seguinte: sou especializada em implementação de mecanismos que se utilizam da técnica RBC, Raciocínio Baseado em Casos, que simula o comportamento cerebral/humano, considerando que as pessoas se utilizam de situações passadas para "resolver" ou "prever" problemas futuros.
-      Hummm….
-      Esta é uma técnica utilizada inclusive em Inteligência Artificial. Então, vetar o uso de situações passadas numa situação presente ou futura não é um desatino e sim um comportamento humano e logicamente aceitável. Concorda?
-      É…pode ser!
-      Não pode ser! É! Estou dizendo que é! Não há porque ficar repetindo os erros. Avalia-se e pronto.
-      Olha…é como se Deus estivesse rindo de mim agora!
-      Nossa, que subjetivo isto! Porque colocar Deus numa conversa tão racional?
-      É que tudo que nós homens queremos, como eu disse antes, é uma mulher linda, inteligente e prática. Mas agora, te conhecendo, vejo que Deus tá de sacanagem comigo.
-      Deixa Deus for a disto! O papo nosso é reto! Dá uma olhada aí no manual e vê se o meu perfil te interessa. Daí a gente já pode pular esta etapa de descobrir o que o outro gosta. Acho isto um saco. A vida é simples pra mim.
-       Tá…vou olhar e te ligo!
-      Mas é pra olhar agora!
-      Agora? Eu tenho que decidir agora?
-      Óbvio! As transmissões sensoriais imediatas são conectadas diretamente ao instinto. Ao me responder agora estará utilizando de tua passionalidade e racionalidade de forma proporcional, dentro de uma faixa aceitável. 
-      Mas cadê a mulher que sussurrou no meu ouvido?
-      Tá lá na página 23, na décima sexta linha, onde falo sobre fetiches. Adoro um ouvido.

Ele começa a ler o manual. Ele termina de ler o manual. Coloca sobre a mesa o liveto, pede um chopp e fala:

-      Ok, suponhamos que eu tenha gostado do que está no manual e queira aprofundar a relação. Como fica?
-      Você faz um manual seu também, com esta mesma estruturação de conteúdo. Eu leio e se gostar, a gente começa a namorar.
-      Ok, vai ser uma experiência diferente. Nunca vivi algo assim. Só que tem uma condição.
-      Qual?
-      Eu vou fazer um manual diferente!
-      Como assim?
-      Vai ser multimídia, colorido e com uma diagramação bem diferente do teu.
-      Porque?
-      Porque esta diagramação do teu manual eu não gostei
-      Huuuummm….publicitário, né?
-      Sim, porque?
-      RBC, meu querido! RBC!
-      Então, posso fazer o meu manual do meu jeito?
-      Não! Não pode!
-      Então eu não quero!
-      É a resposta definitiva?
-      Sim, é!
-      Ok…se o design de um manual vale mais que sessões semanais de massagem tailandesa e sexo oral durante o futebol, então não és homem pra mim também!
-      Como é que é?
-      Não leu o manual?
-      Li! Mas não vi nada disto na parte do sexo!
-      Mas não está na parte do sexo. Está no subcapítulo Sentimentos, dentro do capítulo da Personalidade.
-      Mas o que tem a ver uma coisa com a outra?
-      Vou ler…

Ela pega o manual

-      “a aferição de sentimentalidade em nível elevado por período contínuo e em escala satisfatória ocasionará inevitavelmente o surgimento de sexualidade intensa, cabendo ao parceiro a utilização do instinto para fins que desejar. Ex: sexo oral durante televisionamento de partidas de futebol, massagem tailandesa semanal, lavagem de louça em trajes íntimos”.
-      Meu Deus….eu não li isto!
-      Não, não leu!
-      Então é tchau?
-      Não…não é tchau…

Ela se levanta, contorna a mesa, coloca os lábios junto do ouvido dele e sussurra…

-      Não é tchau!!!! Éaaaaadddddeeeeuuussssssssssssssssss!!!!

E sai, pensando consigo que os homens estão muito exigentes e que, pelo menos, abasteceu seu banco estatístico de RBC. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário