quinta-feira, 3 de maio de 2012

Se não quiser, tem quem queira


Há uma festa de fim de ano do pessoal do escritório. Só do pessoal do escritório.

Ele já havia falado a ela da festa. Mas mesmo assim, ela telefona durante a tarde  e pede que chegue antes da meia-noite. Ele concorda. Estão combinados.

Acontece que com os quase 30 graus à noite, a cerveja gelada é quase um remédio. E ele faz de conta que o tempo não existe. Enquanto o relógio já marca meia-noite e meia, ele dança com os colegas, aos berros.Sim, bêbado. Ela liga. Ele olha pro telefone. Percebe o número. Atende em meio aos colegas. Para abafar o volume da música, ele grita enquanto todos ouvem:

- OOOOOOIIIIIIII!!!!
- Oi, né! Viu que horas são?
 - NÃO...DEIXA EU VER.....BÃÃÃÃÃÃÃEEEEEEEEEEEEEEEE!!!!!
- Vem me buscar agora?
- ME DÁ MAIS UNS MINUUUUUUUTOS?
- O que a gente combinou?
- TÁÁÁÁ.........SÓ MAIS UNS  MINUTOS!!!!! 

Silêncio do outro lado da linha. Ele ergue o telefone. Mostra o aparelho pros colegas. Coloca o telefone no bolso e discursa:

- UMA LINDA QUE TÔ PEGANDO. MAS PENSA NUMA MULHER LIIIIINDA. TÁ QUERENDO QUE EU VÁ EMBORA. AGORA NÃO VÔ. VAI ESPERÁ. E QUÉ SABÊ...SE QUÉ, QUÉ...SE NÃO QUISÉ, TEM QUEM QUEIRA.

Os amigos olham. Ele faz pose de homem que se garante. Enche o copo. No que ele completa o primeiro gole, toca o telefone. De novo. É ela. De novo. Ele mostra o aparelho aos colegas. Dá uma gargalhada e comenta:

- ÓÓÓÓ...TÁ LOUQUINHA POR MIM! NÃO PARA! VÔ FALÁ COM A LINDA!

Ele atende:

- FAAAAAALA, MINHA LINDA!

Agora é ela quem grita:

- QUE HISTÓRIA É ESTA DE QUE SE QUER, QUER...SE  NÃO QUISER, TEM QUEM QUEIRA. TÔ TE AVISANDO AGORA, QUE AQUI É ASSIM TAMBÉM, SE  QUER, QUER....SE  NÃO QUISER, TEM QUEM QUEIRA...E PODE TER CERTEZA QUE TEM MUITO MAIS QUE AÍ!!!
Ele fica tenso.  Já não ri mais. Os amigos percebem.

- MAS COMO ASSIM?

Ela continua:

-  A PESSOA É TÃO ESPERTA QUE NÃO DESLIGOU O TELEFONE QUANDO BOTOU NO BOLSO. EU OUVI TUDO. PRESTA BEM ATENÇÃO: OU EM 15 MINUTOS TU TÁ AQUI DO MEU LADO OU DEU PRA TI!!!

Ela desliga.  Ele disfarça. Fica com o telefone ao ouvido. Faz de conta que a ligação continua.

- MAS TÁ TÃO SÉRIO? NÃO PODE ESPERAR DUAS HORAS?

Permanece ao telefone e movimenta a cabeça como se concordasse com o que escuta. Prossegue:

- DICLOFENACO! EU NÃO ESQUEÇO! O TEU LINDO NÃO ESQUECE! UM BEIJO NESTA BOCA!

Olha pro aparelho. Confere se está desligado. Coloca no bolso. Se justifica diante dos colegas:

-ELA TÁ MAL! TÁ PRECISANDO DUM REMÉDIO! MORA SOZINHA A COITADA! VÔ LÁ!

Despede-se de todos. Segue com a admiração do grupo em alta. Além de controlar a relação, ainda é prestativo. Mesmo bêbado, dirige. Bem devagar. E enquanto dirige, imagina o que vai falar e principalmente o que vai ouvir. Conclui que é melhor não falar. Só há o que ouvir. Chega na casa dela dentro dos quinze minutos estipulados. Senta-se no sofá da sala e espera o discurso. O ar é de derrotado. Ela fica parada, de pé, olhando, com os dentes cerrados de raiva. Ele resolve começar:

- Tá bom! Eu errei!  Desculpe!
- Tá sobrando mulher então?
- Amoooooor!!
- Não me chama de amor, que tu nunca me chama assim!
- Eu tava bêbado!
- Não me interessa!
- Mas eu não falei nada demais! Era brincadeira!
-  Ahhhh....brincadeira? Se qué, qué...se não qué, tem quem queira....e ainda por cima é burro....burro de deixar o celular ligado.

Ele ergue os ombros e traz os braços pra junto do peito, numa expressão de quem não tem o que dizer. Mas tenta um último argumento.

- Eu vim. Eu tô aqui.
- Veio porque é bocudo. Porque falou demais!
- Amooor!!!
- NÃO ME CHAMA DE AMOOOOOR!!!!
- Se eu tô aqui é porque eu gosto de ti. Acho até que quero te namorá.
- Aaaaaaaaaaaaacha?
- Não! É...tá bem! Eu quero namorá. Mas não fica braba!!!!
- Agora? Assim? Mudou de ideia?
- Sim! Se for o caso, a gente já começa a namorá agora!
-  Acha que eu vou cair neste papinho?
- É sério.  Pode ligá pros guris. Falei com eles ontem. É sério...
-  Huuuummmm.....
-É sério...vô falá de novo.  Qué namorá comigo? E tem mais...se qué, qué! Se não quisé, tem quem queira...

Ele deu uma gargalhada. Ela ficou em silêncio, sem saber se batia ou se beijava aquele bêbado. Então respondeu. 

- Huuuuummm....tá bom...eu quero!
- Então vem cá, minha lindona...vem cá e beija teu namorado!

Ela foi. Beijou. E seguem namorando desde dezembro do ano passado.  

4 comentários: