quinta-feira, 7 de março de 2013

Mulheres que amam e odeiam


Pra um homem é estranho, confuso, irritante e até divertido perceber que mulher adora tudo que não tem explicação, que mulher é mais mulher quando fica intrigada e mais mulher ainda quando se pergunta por que está intrigada. Se não há motivo, a ausência de motivo já serve de motivo. No fundo, me parece que toda mulher tem orgulho de seus contrassensos. E por isto, de forma explícita ou secreta, os venera, idolatra, cultiva e alimenta. Aliás. Faz questão de alimentar. Tenho a impressão que toda mulher conversa com seus despropósitos, conversa com as amigas sobre eles.

Mulher é assim. Mulher se apaixona por tudo que não entende.

É por isto que toda mulher se adora. Mesmo quando se odeia.  Porque ela não entende como pode se odiar e se adorar ao mesmo tempo. Toda mulher se ama e se odeia porque não entende o choro sem motivo, a gargalhada descontrolada, o chocolate no regime, o prato cheio de salada pra repetir a sobremesa, a mini-fortuna pelo sapato desconfortável, o vestido insinuante e o incômodo com os olhares masculinos, o teste com os quinze brincos e opção pelo primeiro, o teste com os doze anéis e a opção pelo primeiro, o teste com as três pulseiras e a opção pelas três.   

Toda mulher se ama e se odeia porque não entende a saudade do cafajeste, o não-amor pelo querido, o amor pelo querido, a falta do traste, a metamorfose da aparência horrível da manhã à exuberância da tarde, a vontade de pedir colo sem perder a independência, a vontade de ficar sozinha e querer abraço, o desejo de discutir só um pouquinho só pelo prazer de fazer as pazes.  

É por se apaixonar por tudo que não entende que mulher é mais emotiva, é mais mística e tem mais fé. Toda mulher acredita e confia. Acredita desconfiando. Mas acredita. Confia desacreditando. Mas confia. Talvez seja por isto também que as mulheres têm mais amor na alma.  É por isto que as mulheres têm mais paixão. É porque elas não entendem porque isto acontece. Então amam mais e se apaixonam mais para tentar entender.  

Até bem pouco tempo as mulheres queriam o mundo. Agora, praticamente já o têm. Semana que vem, elas vão continuar a querer mais. E depois, mais. Até o dia que vão anunciar que querem tudo. Elas não vão saber o motivo, mas vão querer. 

Então, sorte de nós homens que ainda estamos entre o que elas querem.  Talvez nos queiram por instinto, biologia. Talvez nem nos queiram. Talvez nos precisem. Por que elas nos precisam? Elas não sabem.  Elas não entendem. E todas elas se amam e se odeiam por isto.  Talvez porque se descobrirem o motivo, o encanto se perderá, a espiral de perguntas terá um fim e os homens passarão a entendê-las. E elas querem que isto aconteça? Elas não sabem. Só sabem que se amam e odeiam e nos amam e odeiam por isto.   

Nenhum comentário:

Postar um comentário